Como identificar valores?

Semana passada, aqui no blog da Altiva Foco em Pessoas, introduzimos o conceito de valor. Falamos que os valores são características ou qualidades que escolhemos livremente e que norteiam a nossa tomada de decisão e ação. Assim, seguindo esse raciocínio, podemos analisar as nossas escolhas do dia a dia e descobrir quais são os valores que realmente prezamos e acreditamos (ou não). Isso porque muitas vezes afirmamos algo por meio das palavras, mas na hora de agir desviamos nossa conduta desse possível valor.

Para comprovar isso que afirmo aqui, não precisamos ir muito longe. Basta olharmos para o nosso dia a dia. Quer ver alguns exemplos?

No supermercado

Você vai ao supermercado para comprar algo que está precisando. Na hora de passar no caixa, o produto registra um valor mais baixo. Você percebe e não fala nada com a atendente sobre a diferença no valor. Fica quieto, pega seu produto e vai embora. Só reclama se for o contrário, porque aí acha que está tomando prejuízo.

Valor em foco: Honestidade

Quando agimos assim, estamos sendo honestos?

Na fila do teatro

Você sai para levar seus filhos ao teatro e chegando ao local encontra aquela fila. A primeira coisa que você faz é deixar a esposa(o) na fila com as crianças e sair para procurar alguém conhecido que já está mais na frente para “furar” a fila e tornar a sua espera menor. Mas, se alguém tenta fazer o mesmo, você fica furioso!

Valor em foco: Respeito

Quando agimos assim, estamos respeitando os outros?

No trânsito

Você está dirigindo seu veículo para deixar seus filhos na escola e o motorista da pista ao lado sinaliza que gostaria de entrar na sua frente. Você se irrita e não deixa o veículo entrar, justificando que está com muita pressa.

Valor em foco: Gentileza

Quando agimos assim, estamos sendo gentis?

No ônibus

Você pega o ônibus para ir para casa depois do trabalho e aproveita para no caminho comer uma barra de cereal para aliviar a fome. Quando você termina, você pega a embalagem vazia e joga pela janela.

Valor em foco: Cuidado com a propriedade alheia

Quando agimos assim, estamos cuidando da nossa cidade?

Necessidade de alinhamento entre valores e interesses pessoais

Essas são algumas situações que demonstram o que acontece se os nossos princípios morais não estão realmente alinhados e conectados com nossos valores pessoais, que servem de guia para a nossa existência. Ao menor sinal de que o benefício individual é maior, optamos por abandonar as normas morais pensando apenas na possibilidade de ganharmos com a situação, seja para benefício próprio ou de alguém próximo a nós.

Mas, se há um verdadeiro alinhamento entre os princípios morais e os valores, a ação é direcionada para o bem comum e não só para interesses individuais.

É importante refletir

A verdade é que incorporamos nossos valores ao longo de nossa vida, sendo grande parte deles incorporados durante o período da infância e sem ao menos percebermos. Muitas pessoas passam a vida toda sem ter clareza de seus valores porque nunca pararam para pensar quais são eles. Mas essa reflexão é de grande valor, pois muitas vezes simplesmente expressamos nossos valores de forma automática, sem na verdade estarmos conscientes deles.

Por esse motivo, é fundamental nos abrirmos para essas reflexões para reconhecermos quem verdadeiramente nós somos. Um ótimo exercício para auxiliar nessa autodescoberta é listarmos, em uma folha em branco, primeiramente, quais são nossos valores e o que prezamos mais que tudo na vida. Por exemplo, respeito, igualdade, honestidade, fidelidade, presteza, etc.

Aplicação

Ao lado de cada um de seus valores, relacione as suas atitudes que expressam cada um desses valores. Se o valor é respeito, por exemplo, a atitude pode ser dar lugar para pessoas mais velhas, não falar enquanto o outro fala, aguardar a sua vez na fila, etc. Com a lista pronta, marque, pelo menos, aqueles cinco itens que são mais importantes para você na sua vida. Olhe para essa lista e analise todos os itens e reflita como eles estão presentes na sua vida. Em uma análise mais profunda, é possível perceber ainda que alguns valores podem ganhar ou perder força de acordo com a fase que estamos vivendo. Isso acontece muito! Por exemplo, se a família é um valor pessoal, ele pode ganhar maior dimensão quando você resolve ter filhos, constituir um lar.

Compreender quais são os valores que carregamos, mais ou menos importantes, é importante para nos deixar frente a frente com a nossa realidade íntima. Isso também nos apontará aquilo que não abrimos mão de jeito nenhum e o que não tem preço para nós. Ter a visão clara desses valores nos ajuda a entender até se algum acontecimento nos incomoda.

Com isso, adquira consciência de si mesmo

Estar consciente e com total clareza desses pontos também contribuirá de forma positiva e construtiva para conduzir a criação dos filhos. Reconhecer aquilo que de certa forma acreditamos que é bom, mas ainda vacilamos na ação nos dá subsídios para mudarmos nossa trajetória, principalmente na frente das crianças. Dessa forma, tanto os pais quanto os filhos passarão, com o tempo, a incorporar mais e outros valores que podem tornar a vida da e em família mais significativa.

Tenho de ser realista e afirmar que essa não é uma tarefa fácil e necessita de muita força de vontade e disciplina para ser realizada. Mas, com certeza, se você mudar suas atitudes com base em valores positivos, seus filhos receberão esse estímulo, e ele será multiplicado pelas gerações.

Se você não leu os posts anteriores, acesse o blog da Altiva Foco em Pessoas e leia outros textos que tratam tanto de valores como outros temas importantes para você manter o equilíbrio e ser mais assertivo na criação de seus filhos. Aproveite e acesse a página do programa da Incubadora de Pais e conheça esse serviço exclusivo da Altiva Foco em Pessoas.