Palavras positivas: elo do amor

 “E nada é mais eficaz que o pensamento positivo amplificado”. (Forfun)

 

Nos últimos posts do blog da Altiva Foco em Pessoas introduzimos o assunto do negativismo que toma conta de nossos pensamentos e da nossa vida. E essa negatividade toda não fica somente conosco. Ela se espalha e impregna nossas palavras, nossas ações e nossos hábitos. Ou seja, ela se torna visível para todos que convivem conosco e é muito mais visível aos olhos sensíveis de nossas crianças.

Por isso, necessitamos cuidar urgentemente de nossos pensamentos e de nossas atitudes perante as crianças. É com essa proposta que escrevo carinhosamente a todos os pais e mães que desejam transformar a educação de seus filhos.

Reforce o positivo, não o negativo!

Para ilustrar aonde chegamos com o negativismo, vou relatar rapidamente um caso que presenciei há algum tempo.Tratava-se de uma criança por volta dos oito anos de idade e estava com dificuldades na escola em uma determinada disciplina. Sozinho, ele estudou e se esforçou para conseguir melhorar a média na disciplina que precisava e conseguiu resultados positivos. Alegre e feliz por alcançar os resultados esperados, ele correu e mostrou o boletim da escola para a mãe. Ela, de forma bastante direta, pegou o papel na mão da criança, olhou e respondeu ao pequenino: “Você não fez mais do que a sua obrigação!”. O menino perdeu instantaneamente todo o brilho no olhar e o sorriso dos lábios. Fechou o semblante e cerrou a fisionomia, abaixando a cabeça logo em seguida. Definitivamente, não era aquilo que ele esperava escutar. Acredito que, depois de todo o seu esforço e dedicação, ele esperava receber pelo menos um simples “Parabéns”. Depois do fato, fui perguntar à mãe por que ela havia dito aquilo e daquela forma ao filho. Ela me respondeu: “Porque assim ele vai continuar a se esforçar para tirar boas notas”. Depois do fato, conversamos ainda por alguns minutos e pude perceber as boas intenções por trás daquela atitude materna, mas, na realidade, esse tipo de reação desmotiva e desvaloriza, diminuindo as capacidades e potencialidades do menino.

Sob outro aspecto, reflita comigo: esse foi um dos retornos que essa criança recebeu até o momento, ressaltando que ela fez algo de bom, de correto. Agora, imagine quantas palavras negativas ela recebe por dia (por semana, por mês!!!), já que nem quando ela faz algo certo ela recebe um elogio!

Nossas palavras, dependendo da polaridade, tem um impacto positivo ou negativo nas outras pessoas e nas crianças, é claro! E para jogar pra longe o negativismo do qual falamos anteriormente, precisamos usar mais palavras positivas, de valorização e motivação. Isso é chamado “reforço positivo”, ou seja, o cuidado para manter um posicionamento verbal positivo na educação dos filhos em todas as situações. Com esse cuidado, a criança escutará palavras de valorização e de reconhecimento pelos seus esforços e crescerá com autoestima elevada e pronta para enfrentar os desafios da vida, porque vai se reconhecer como alguém capaz.

E isso pode e deve ser feito nas pequenas tarefas. Certa vez vi um pai cuidando do filho tinha apenas dois anos e alguns meses. A criança queria um copo-d’água e tomá-lo sozinha. O pai, pacientemente, entregou o copo na mão do filho e ficou ao lado aguardando. De repente, o copo espatifou no chão e o pequenino olhou para o pai com cara de choro. O pai se abaixou na altura do filho e disse para ele: “Filho, está tudo bem!”. Esse pai, ao dizer isso ao filho, reconheceu que a criança está aprendendo a controlar seus movimentos e que, para a idade dela, isso é normal. Parece um fato simples e sem valor, mas é porque o mais comum é vermos os pais tirarem o copo da mão da criança imediatamente, reforçando que ela não é capaz de segurar o copo sozinho. Com a abordagem do reforço positivo, a atitude é de reconhecer o esforço e as capacidades da criança, pela sua idade, habilidades e características, e acompanhá-la durante o processo para oferecer-lhe ajuda quando necessário.

Criar os filhos sem o sentimento de amor e de valorização pode acarretar diversos prejuízos na formação da criança, como sentimentos de falta de confiança em si mesmo e nos outros, não valia, desmotivação e até mesmo raiva. A criança poderá crescer acreditando em falsos conceitos: que ela é uma pessoa ruim, má, que não faz nada certo. Por isso é que esse caminho do negativismo não nos leva a nada construtivo.

Qual o caminho trilhar então?

A maioria de nós foi criada assim, mas por que não mudar? É essencial estarmos dispostos a fazer um movimento inverso, direcionando nossos esforços para o lado oposto. E, de certa forma, é bastante simples: pensar e agir de forma positiva. Mas essa mudança a que me refiro só acontece se começamos a trabalhar os nossos pensamentos, nossas atitudes e nossos comportamentos a cada momento do nosso dia. A mudança começa em nós! Muda a partir da transformação dos padrões antigos e ultrapassados. É um trabalho árduo e que requer muita disciplina, mas que vale a pena.

Então, se você tem vontade e deseja fazer essas mudanças para melhorar o relacionamento com seus filhos, comece a aplicar a prática do “reforço positivo” pelas suas palavras. Expresse positividade, mude a perspectiva com relação aos problemas e dificuldades da vida que eles se transformarão para você também. Assim, você constatará o poder que palavras carregadas de amor e fraternidade são capazes de fazer na formação do seu filho.

Quer ler mais sobre a importância do positivismo na nossa vida e na vida das crianças, acesse o post “Inversão de Polaridades“. Nesse post, a Altiva Foco em Pessoas trata sobre a tendência negativista que estamos imersos e como isso influencia a formação das crianças. Leia mais aqui.

Você tem dúvidas sobre alguma coisa que tratamos no post, entre em contato com a Altiva Foco em Pessoas. A nossa intenção é ajudá-los a trilhar um caminho melhor. Nosso contato é altiva@altivapessoas.com.br.